Plínio Camillo

Plínio Camilo

Eu cometo livros

Plínio Camillo é um autor nascido em Ribeirão Preto, formado em Linguística pela USP, que encontra inspiração nas vivencias do cotidiano para produzir seus escritos. Atento ao que lê, escuta e às distintas formas de ver o mundo, Camillo também atribui grande importância à dedicação ao trabalho: “Escrever para mim não é um ato mediúnico e sim de muita transpiração”.

Publicou seu primeiro livro “O Namorado do Papai Ronca” em 2012, obra premiada noConcurso de Apoio a Projeto de Primeira Publicação de Livro no Estado de São Paulo, que chamou a atenção pela inovação na linguagem, apropriando-se do modo de expressão usual nas redes sociais. Também participou em duas coletâneas de contos – “Abigail” e “Assim você me mata”.

Estimulado pela literatura de autores como Marcelino Freire, Dalton Trevisan, Lima Barreto e Dashiel Hammett, o autor encontra referências também na dramaturgia e na tradição teatral, onde reúne uma vasta experiência. Participou do Curso de Extensão Cultural na área de teatro da Unicamp e atuou como autor, diretor, ator, iluminador e assistente de produção nesta área. Camillo reconhece em sua construção narrativa o aporte desta vivência teatral. Possivelmente, por também ser educador sua escrita demonstra relação com o contemporâneo na linguagem e nas temáticas tratadas.

Sobre os livros: Palavras certeiras

Luiza: Aprendi com outra Luiza: que o escrever é escolher parte de uma imensa história para contar! Elege um início qualquer e termina onde bem quiser ou com um efeito desejado ou de sopetão ou até bem suavemente. Também… se quiser… deixando uma lição ou suspense ou algo para pensar ou um sorriso na alma ou até a boca um pouco aberta! Histórias: sempre há muito antes e muito mais depois. Porém o que é mais saboroso é o durante!!

 

Bombons Sortidos: E se a vida fosse um chocolate? Teria múltiplos gostos, com as circunstâncias da existência que as vezes se apresentam amargas, doces ou crocantes. As verdades, encantamentos e desilusões da vida são desveladas de maneira pura ou recheadas de misturas como castanhas, mel e pimenta. Há tempo para todos os sabores. ‘Bombons Sortidos’, de Plínio Camillo, é um livro de contos que apresenta dez capítulos. Estes capítulos, por sua vez, foram divididos em 10 pequenos livros que compõe a coleção. Em formato de barras de chocolate, as obras trazem uma leitura para descascar a alma humana. Tão deliciosamente gostosa como o cacau de cada chocolate desta coleção.

 

De Rua: Os contos escritos por Júlio Gonçalves Dias e Plínio Camilo são frutos das experiências como educadores da Secretaria do Menor num equipamento chamado Casa Aberta, que atendia principalmente crianças e adolescentes em situação de rua. Isso foi do final dos anos oitenta até final de 1995. O trabalho era desenvolvido principalmente na região sul, mas devido a mobilidade dessas crianças e adolescentes pela cidade os autores acabavam por percorre-la quase toda.

Foi feita uma opção narrativa pelos contos curtos e microcontos, às vezes recorrendo a paródias literárias e musicais e abusando das linguagens das ruas daqueles tempos. Os textos se apresentam muitas vezes com uma dinâmica um tanto vertiginosa, pela quantidade de personagens, da energia daqueles meninos e meninas, de referências literárias dos autores e de liberdades expressivas que  guardam semelhança e exprime bem os ares daquele tempo.

Coletânea de Contos ESCANGALHAR: Este livro, esta coletânea de contos, é um dos resultados da Oficina Escangalhar, desenvolvida pelo escritor Plínio Camillo no Espaço Cultural Kazuá. Que foi além da prática de corroer, desamanhar e lascar os textos e palavras que era a sua principal intenção. Foi espaço onde pessoas que desejavam escrever puderam conversar sobre seus escritos. Errar e rever. Corrigir e corroer. Escavar e informar. Comunicar e conhecer. Apreciar e cometer. Arrojar-se e claudicar. Os participantes vivenciaram encantamento de ver e ouvir sinceras críticas sobre seus trabalhos e além de presenciar o outro tomando aquele texto para si. Tiveram uma convivência forte. Profícua. Emocionante. Divertida. Viva e realmente literária.

Autores:

  • Ademar Ribeiro
  • Ethel Naomi
  • Henrique Ranieri
  • Maria Rita Hurpia da Rocha
  • Meg Mendes
  • Milton Silva da Rocha

Coração Peludo: Em sua mais recente obra, Plínio Camillo descreve situações marcantes em formas curtas. O protagonista compartilha com o leitor momentos diversos e decisivos da sua experiência de vida, tão surpreendente quanto a linguagem do escritor. Em poucas, mas certeiras palavras, Camillo dá o tom das circunstâncias, descreve personagens e conclui as passagens que seu narrador escolhe para relatar.

A escrita do autor é povoada de citações que definem diferentes épocas, bem como de bordões de desenhos animados e publicidades que ficaram na memória popular, salpicada por trechos de músicas que fizeram história, dos quais se apropria concedendo personalidade ao texto.  Sua narrativa se inscreve numa estética de escrita naturalista, bem como os recursos para contextualizar as vivências de seu personagem, crível por ser humanamente contraditório. Como bem descreve seu prefaciador, o escritor e jornalista Gláuber Soares: “Numa época em que boa parte da literatura brasileira se encontra asséptica, indevidamente pasteurizada, Plínio Camillo rasga o peito do seu personagem principal, fio condutor entre todos os contos…”.

O prefácio da obra complementa, “Sem pudor e, sobretudo, sem desperdiçar palavras com descrições enfadonhas ou explicações desnecessárias, o autor, no vigor do seu estilo, parece ter encontrado um antídoto contra a chatice”.

Plínio Camilo